sexta-feira, 2 de maio de 2008

receita escrita à moda antiga .....

Estou quase finalizando o livro "A ponte das turquesas", da Fernanda de Camargo-Moro. Normalmente costumo ser ligeira nas minhas leituras mas com este livro foi diferente. Ele é tão rico em detalhes que sempre que avanço a leitura acabo voltando um pouco. Não quero perder nada. Quando cheguei no capítulo "O gosto dos sultões - receitas antigas" fiquei encantada ao ler uma receita escrita no século XV. A receita é do livro Chirvânî , o qual já comentei aqui. A receita é de harisa ou herise. Não é a mesma harissa tunisiana mas é um prato de origem árabe e significa cozido, fervido e foi adotado pela culinária turca. Quem sabe um dia desses não me arrisco à preparar uma harisa à moda antiga ......
" Que se tome novecentas dragmas de carne gorda, cortada como de costume e colocada numa caçarola, que seja colocada em cima uma quantidade grande de água quente e que deixe cozinhar, retirando a espuma. Quando o cozimento estiver próximo do fim, tira a água e separe a carne dos ossos e dos nervos e da cartilagem. Coloque de novo a carne na caçarola e misture 600 g de farinha de trigo branca, bem batida, limpa, lavada. Misture bem e deixe cozinhar em fogo baixo do entardecer até o terceiro quarto da noite, mexendo por cima com a concha. Querendo juntar galinha, separe-a em pedaços, desosse e junte na caçarola com um pouco de canela. Deixe cozinhar até o meio da noite, quando se tornará um mingau e que não se possa distinguir o trigo das carnes. Se for necessário, vá adicionando água fervendo e mexendo. Deixe a caçarola nas brasas até o amanhecer. Tome então um rabo de carneiro ainda fresco e corte em pequenos pedaços para tirar a gordura, que depois de misturada com cominho tostado e canela, misture bem na harisa quente. " (Chirvânî 1, 62 r.v.)
trecho do livro "A ponte das turquesas", Fernanda de Camargo-Moro.

7 comentários:

Bete disse...

Receita diferente, mas muito interessante.
Bom fim de semana!

Lú! disse...

aiaiai, deve ser bem difícil de fazer...
Mas oq adoro nessas receitas, é que tudo vai uma pitada de canela!
Com certeza eu experimentaria essa ai...
Com prazer, rsrs
Bjosss
:)

Marcia disse...

Comprei o livro, pois sempre que vc comentava sobre ele me despertava a curiosidade.... Obrigada pelas ótimas dicas! bj

Natércia disse...

Fabricia que maravilha de receita adorei um beijo. Natércia...

Bia Belliard disse...

Adoro ler receitas assim ! Acho que vou ter que comprar este llivro...bejs

Cláudia disse...

Muito linda a narrativa, gostei do modo como a autora descreve as horas,( até o entardecer, até o meio da noite), nos faz viajar no tempo, onde mal sabíamos as horas do dia. Lindo demais! Agora a receita é pouco complicada para mim.(hehe)

bjs

Bruna Lyrio disse...

Oi, Fabrícia! Descobri o seu blog há pouco tempo e é a primeira vez que comento. Da Fernanda de Camargo-Moro tenho um livro que se chama "Arqueologias culinárias da Índia". Gostei tanto desse livro, que já comprei outros dois livros dela, que estao me esperando no Brasil (moro na Espanha). Muito legal saber que vc está divulgando essas obras maravilhosas. Um beijo e parabéns pelo blog!
Bruna.